Estomatite Protética

0
132

Dados da pesquisa nacional de saúde bucal do Ministério da Saúde do Brasil realizada em 2010 revelaram que sete milhões de brasileiros na faixa entre 60 e 74 anos precisam de próteses totais .

As próteses parciais removíveis e próteses totais têm por objetivo reabilitar funções como fonética, mastigação, deglutição e estética. Apesar da busca pela perfeição na confecção dessas próteses, vários tipos de lesões podem aparecer na mucosa, associadas ao seu uso, sendo que a mais comum é a estomatite protética.

Mas o que é a estomatite protética?
É uma doença crônica que pode ser caracterizada por uma inflamação localizada ou generalizada da mucosa bucal. Na maioria das vezes não há sintomas ou apenas ardência na região e mucosa avermelhada com pequenos pontos esbranquiçados.
As principais causas da estomatite protética são problemas de saúde geral do indivíduo, problemas locais microbianos, como o acúmulo de placa bacteriana e colonização de fungos e também problemas mecânicos como a porosidade da resina que forma a base da prótese. Esses fatores, associados aos traumas causados pelo uso das próteses e deficiência na higienização das mesmas, colaboram para que a mucosa subjacente a essas próteses fique susceptível à infecção por micro-organismos como a Candida albicans.

Como Evitar:

Retirar a prótese antes de dormir e colocar em um recipiente com água (para não modificar a prótese), higienização da mesma com escova de dente macia, pasta dental comum ou com sabão de coco.

No caso da prótese total é recomendado coloca-la em um recipiente com hipoclorito de sódio (água sanitária), pelo menos uma vez ao mês durante a noite.
Quando a doença já esta instalada o tratamento é simples e realizado com antifúngicos. Porém os cuidados preventivos são essenciais para a boa saúde bucal.

Fonte:
Journal of Biodentistry and Biomaterials – Universidade Ibirapuera São Paulo, n. 2, p. 24-29, set./fev. 2011
e Blog Dental Gutierre.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here