Cárie de Mamadeira, você já ouviu falar dela?

0
156

A amamentação, seja ela natural ou artificial durante a madrugada, com grande frequência e sem qualquer tipo de higiene, pode acarretar a chamada cárie de mamadeira ou cárie rampante. É uma cárie aguda, agressiva, de evolução rápida e que provoca muita sensibilidade (dor), podendo causar a destruição dos dentes de leite em um curto espaço de tempo. É uma doença que pode afetar a criança no primeiro ano de vida.

A causa desse tipo de cárie acontece da seguinte maneira: Durante a noite nossa salivação diminui e as substâncias da saliva previnem a desmineralização do dente (o que leva a cárie). Durante a noite temos menor fluxo salivar e juntamente com a ingestão de açúcar há maior liberação de ácidos o que causa a corrosão no dente.
Clinicamente, esse tipo de cárie se inicia com manchas esbranquiçadas nos dentes superiores e inferiores, que, mais tarde, se não removido o hábito, podem vir a formar grandes cavidades (cáries), podendo até destruir sua coroa clínica.

Outros fatores que podem determinar o aparecimento da cárie de mamadeira são:
-Adoçar a chupeta com mel ou açúcar para que a criança se acalme e adormeça;
-O consumo excessivo de sucos ácidos (laranja, limão) e refrigerantes na mamadeira durante o dia todo.

Para evitar a cárie de mamadeira os pais, se possível, não devem oferecer o leitinho da madrugada ou antes de dormir. Esse é o momento de descanso da criança, ela não precisa mamar; neste caso, ela estará sendo induzida a um hábito vicioso e nocivo, que poderá prejudicar seus dentes (mesmo que sejam poucos), principalmente se for adicionado açúcar, achocolatado ou mel.

A limpeza da boca deve ser feita após cada mamada, seja ela no peito ou na mamadeira, caso a criança ainda não tenha os dentinhos deve ser realizada com gaze ou fralda embebida em água filtrada ou outra solução a ser prescrita pelo odontopediatra.

Se o processo carioso se instalar e não for tratado adequadamente, com o passar do tempo poderão aparecer problemas maiores como: dor de dente, grandes cavidades de cárie, restaurações extensas, tratamento de canal, problema periodontal (de gengiva) ou até a perda precoce de dentes.

É importante ressaltar que no passado, quando não havia preocupação com a saúde bucal como há hoje, era comum a errônea ideia de que a perda de dentes de leite não importava, pois eles seriam substituídos pelos dentes permanentes. Isso é um grande equívoco. A perda prematura dos dentes de leite é catastrófica, causando sérios problemas para a dentição permanente.

A convivência harmônica dos dentes de leite com os permanentes deve estar presente até, mais ou menos, 12 anos; por isso, a preservação dos dentes de leite é fundamental para evitar futuros problemas, inclusive ortodôntico.

DIANTE DE TUDO ISSO, QUE TAL A PARTIR DE HOJE MUDAR ESTE HÁBITO?

Fonte:
ABC da Saúde Informações Médicas Ltda.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here