Câncer Bucal

0
246

O ano de 2015 se encerra com mais uma grande vitória da Odontologia, a Semana Nacional de Prevenção ao Câncer Bucal.

Mais uma conquista do CFO/CROs no esforço em prol do cidadão brasileiro. A presidente da República, Dilma Roussef, sancionou, dia 28 de Dezembro de 2015, a Lei que institui a Semana Nacional de Prevenção ao Câncer Bucal.
O Conselho Federal de Odontologia (CFO) há muito vem se preocupando com os dados da doença no Brasil. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a doença mata quase 4 mil pessoas por ano e o CFO está preocupado com a grande incidência.

“Essa Lei sancionada foi uma grande vitória de toda a Odontologia, pois agora teremos um maior alcance na divulgação das informações e com certeza a doença agora vai diminuir. A população precisa ser alertada. O nosso objetivo maior é com a informação e prevenção que vai proporcionar uma melhor saúde bucal com maior qualidade de vida para o cidadão”, afirma o presidente do CFO, Ailton Morilhas.

O câncer de boca pode se manifestar sob a forma de feridas na boca ou no lábio que não cicatrizam, caroços, inchaços, áreas de dormência, sangramentos sem causa conhecida, dor na garganta que não melhora e manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na parte interna da boca ou do lábio. Nas fases mais evoluídas, o câncer de boca provoca mau hálito, dificuldade em falar e engolir, caroço no pescoço e perda de peso.
São tumores malignos que acometem a boca e parte da garganta. Pode se desenvolver nos lábios, língua, céu da boca, gengiva, amígdala e glândulas salivares.

O fumo e o álcool são os principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer da boca. Pessoas que fumam e consomem bebidas alcoólicas excessivamente têm maior risco de desenvolver o câncer de boca. O risco aumenta quanto maior for o número de cigarros e de doses de bebidas consumidos.

Alguns dos principais fatores de risco são a falta de higiene bucal e a alimentação pobre em vitaminas e minerais, principalmente em vitamina C. A exposição excessiva ao sol também aumenta o risco de desenvolvimento do câncer do lábio.
Profissionais de saúde treinados dos Centros de Especialidades Odontológicas, CEO, e de postos ou centros de saúde podem realizar o exame onde pode ser detectado o câncer.

O autoexame da boca é uma técnica simples que a própria pessoa faz para conhecer a estrutura normal da boca e, assim, identificar possíveis anormalidades, como mudanças na aparência dos lábios e da parte interna da boca, endurecimentos, caroços, feridas e inchações. Entretanto, esse exame não substitui o exame clínico realizado por profissional de saúde treinado. Para a realização do autoexame são necessários um espelho e um ambiente bem iluminado. Mesmo que não encontre nenhuma alteração, é importante a consulta regular ao dentista para exame clínico da boca.

Para diminuir o risco de câncer de boca aqui vão alguns cuidados básicos:
Evite ou reduza o consumo de fumo e de álcool
Mantenha uma boa higiene bucal
Faça uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes
Visite o dentista regularmente e converse com o seu médico e informe-se sobre o exame clínico da boca.

Fontes:
O Corpo Humano e Conselho Federal de Odontologia.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here