A Biossegurança na Odontologia

0
155

Os profissionais da área da saúde estão constantemente em contato com um ambiente que pelas suas peculiaridades, possibilita que o ar seja um via em potencial de transmissão de microrganismos.

Na odontologia não é diferente, o consultório odontológico é um ambiente altamente contaminado, seja por bactérias vindas da boca do paciente, pelas mãos dos cirurgiões-dentistas e assistentes, por gotículas eliminadas durante os procedimentos, pelo aerossol contaminante ou pelos instrumentos e equipamentos contaminados. É uma atividade que expõe os pacientes, a equipe, o próprio cirurgião-dentista e indiretamente seus familiares às mais diversas doenças infecciosas. Também é comum a manipulação de sangue e outros fluidos orgânicos que são as principais vias de transmissão do HIV e do vírus da hepatite B e C.

A contaminação cruzada ocorre de maneira simples, basta observar os movimentos de um cirurgião dentista durante um procedimento. O profissional pode ter se preocupado com a esterilização e disposição dos instrumentais, lavado as mãos corretamente e colocado luvas. Porém, um simples reposicionamento do equipo ou do refletor, ou um material retirado da gaveta, ou a uso de materiais que não sofrem autoclavagem, já é suficiente para a contaminação dessas partes. Além disso, o aerossol é capaz de contaminar todas as superfícies expostas na sala.

O nível de contaminação cruzada nas equipes de saúde bucal vem aumentando significativamente. Por isso, é muito importante que a equipe e o cirurgião-dentista tenham conhecimento sobre a necessidade de normas de biossegurança para minimizar esse índice.

Consta como parte da biossegurança o uso de equipamentos e materiais por parte do profissional e equipe auxiliar como: máscaras descartáveis, gorros descartáveis, luvas de procedimento e cirúrgicas, protetor de pontas descartáveis (alta e baixa rotação e outras pontas auxiliares), agentes químicos de desinfecção e esterilização de superfícies e instrumentais, filme plástico para cobertura de áreas tocadas durante os procedimentos (deve ser trocado a cada paciente) e antissépticos para o paciente fazer bochecho antes de qualquer procedimento.
Dentro das normas de biossegurança incluem: correta lavagem das mãos; proteção pessoal do usuário; uso do equipamento de proteção individual em todos da equipe; adequada limpeza de superfície; desinfecção e esterilização; imunização dos profissionais entre outras.

É também aconselhável que o profissional e sua equipe tomem vacinas contra: Hepatite B, Sarampo, Rubéola, Parotidite e Tétano (mesmo que o risco seja quase nulo).
Seja para evitar a contaminação do profissional ou a contaminação do paciente, a biossegurança nos consultórios odontológicos é indispensável, o protocolo e deve ser seguido, não só para proteção do paciente como do próprio profissional.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here