9 dicas para superar o medo de ir ao dentista

0
262

Tem gente que convive com dor ou cáries durante um bom tempo por medo de ir ao dentista. Mas, hoje em dia, esse tipo de problema se mostra cada vez mais contornável, já que a tendência de humanização dos tratamentos de saúde chegou também aos consultórios odontológicos.

Os dentistas desenvolveram técnicas para amenizar a ansiedade dos pacientes com os procedimentos e dá até para aposentar o velho e barulhento “motorzinho”. Medicamentos mais potentes e apoio terapêutico compõem o leque de ferramentas ao alcance de quem quer superar o medo em busca da saúde bucal. Confira técnicas para amenizar o medo de iniciar um tratamento odontológico abaixo:

Entenda o seu medo
Para o cirurgião-dentista Hugo Rosin, “a primeira coisa que a pessoa tem que avaliar é o tamanho do medo dela, se ela tem um pouco de medo ou desconfiança de quem ainda não encontrou o profissional certo; ou se, é um medo mais descontrolado, uma fobia de qualquer tipo de tratamento”. Dependendo da conclusão, um acompanhamento psicológico pode ser a solução.

Saiba a origem do medo
Tente investigar qual é a origem do seu medo de ir ao dentista. “Em um trauma ou fobia o cérebro reage a uma associação que foi realizada. Ao identificar a origem do medo, é possível criar estratégias para transformar esse sentimento”, explica Márcia Dolores Resende, psicóloga e criadora do método coaching eficaz com PNL (programação neurolinguística).

Foque nos benefícios
“Pense por que é importante dedicar tempo para cuidar do seu sorriso. Isso é valor? Pense que você está cuidando de você, da sua saúde e beleza”, sugere Márcia. Focar em pontos positivos ajuda para que o compromisso de visitar o dentista fique menos estressante.

Aposte em técnicas de visualização
“Relaxe quando sentar na cadeira do dentista. Imagine um momento de cuidado com você e feche os olhos. Coloque uma música e o seu fone de ouvido. E pense que pode cuidar de você com zelo”, aconselha Márcia.

Tenha boas referências
Busque indicações de profissionais com amigos e parentes. Assim, você terá referências que ajudarão na escolha do seu dentista e trarão mais segurança durante o tratamento.

Leia: Sinais de que é hora de ir ao dentista
Não fique com dúvidas
Tire todas as suas dúvidas sobre o procedimento. “Alguns pacientes conseguem reduzir o nível de ansiedade quando compreendem melhor o procedimento que será realizado. Também existe uma técnica chamada condicionamento onde o paciente faz várias visitas ao consultório para se acostumar com o ambiente, com os equipamentos e conhecer a equipe. O condicionamento tem ajudado tanto crianças quanto adultos a realizar tratamentos com mais tranquilidade”, explica Rosin.

Se a conversa, as visitas ao consultório e respirar fundo não forem suficiente, informe seu dentista. “O controle da ansiedade é algo fundamental no tratamento odontológico. Muita ansiedade pode causar picos de pressão alta, por exemplo”, observa Rosin.

Em casos mais graves, medicamento é opção
A medicação para prevenir e combater a dor tem avançado significativamente. “A técnica odontológica está bem evoluída. Temos anestésicos mais potentes e sedativos para diminuir a ansiedade e minimizar o trauma. Hoje, o óxido nitroso é bastante usado. Ele relaxa o paciente e torna a reação dele frente à dor mais amena”, aponta Eduardo Akisue, odontólogo com especialização em endodontia e implantodontia.

Faça consultas frequentes
Vá pelo menos duas vezes ao ano ao dentista. Consultas frequentes ajudam a identificar problemas bucais no início, o que facilita o tratamento e evita a necessidade de procedimentos invasivos.

Sem motorzinho
Se for o barulho do motorzinho a origem do trauma, seus problemas acabaram. “É possível fazer o desgaste do dente com um jato de micropartículas ou usar laser de alta potência, que destrói a cárie, mas não faz aquele barulho”, sugere Hugo.

Artigo fornecido pela Colgate-Palmolive. Copyright 2016 Colgate-Palmolive.
Todos os direitos reservados.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here